Depois de muita negociação, Lula consegue deixar Sindicato

Via Jornal GGN – Lula e a cúpula do PT não queriam complicar a relação com a Polícia Federal, pois que estavam aceitando todos os pedidos da defesa, mas foi difícil romper a barreira feita pelo povo na frente do Sindicato. Por fim, Lula conseguiu entrar no carro e sair no comboio da Polícia Federal.
Para convencer o povo a desobstruir as saídas do Sindicato, remontaram o carro de som. Primeiro Gleisi Hoffmann conversou com os manifestantes para que não impedissem a saída de Lula do Sindicato dos Metalúrgicos. Explicou que Lula poderia ter pedido de prisão mudado para prisão preventiva, o que impediria o habeas corpus. Isso prejudicaria mais ainda o ex-presidente, disse ela, se ele se apresentasse ficaria tudo mais fácil. E este tipo de reação tornaria tudo mais prejudicial para Lula, inclusive para as Cortes Internacionais.
Ela pediu que as pessoas a ajudassem neste momento, para não piorar juridicamente a situação de Lula. Disse que quer também a liberdade de Lula, mas tem que lutar cada luta.
A Polícia Federal deu meia hora para que se resolvesse a situação, senão Lula seria responsabilizado. Pediu a compreensão, solução. E a solução não é só deles, é também de tantos que se juntaram.
O Lula teve a resistência possível ali, disse ela, foi carregado nos braços do povo, cercado de tanta gente, mostrando sua importância. Mas agora é um problema objetivo, uma decisão e as consequências possíveis.
Avisou que as coisas não podem ser como queremos, precisamos acumular forças, temos que mobilizar o país com Lula e ali começou. E tem que seguir com a luta. Dividiu com o povo a responsabilidade diante do presidente, pois não são todos ali que sofrerão as consequências, mas sim ele.
A realidade é essa. Pede que pensem nas consequências, que é muito grave e pede a compreensão. 
João Paulo, dirigente do MST falou e pediu compreensão. O problema é que o Secretário de Segurança está autorizando a ida da Tropa de Choque e também há outro, e principal, é a decisão jurídica que até agora não chegou ao ponto. Não se pode radicalizar, pois se tornar prisão preventiva não haverá possibilidade de habeas corpus. Os advogados falaram com a polícia federal, tentando não ir hoje, mas não aceitaram, conta ele. A posição política de Lula é se apresentar à polícia federal, esta é a intenção dele, se apresentar e não se entregar.
Luiz Marinho também pede ao povo que aceite a determinação de Lula, mesmo tendo dado uma lição para o mundo de resistência em torno do presidente.
O deputado Paulo Teixeira também falou ao povo, pediu que permitissem a ida do Lula para que ele possa continuar o caminho jurídico, ficando apto para tentar o habeas corpus. Falou em redução de danos, e o maior dano é a prisão preventiva e o menor dano é o Supremo Tribunal Federal. Colocou a decisão nas mãos do povo ali reunido.
Diante de tanta confusão, Lula saiu a pé. Entrou no comboio da Polícia Federal e seguiu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *